VOLTAR A HOME PAGE

 
 
     

Orientações para a Missa da Crisma



27 maio, 2011


Orientações para a Missa da Crisma

Correto: Missa da Crisma e não missa do crisma.
Santo Óleo do Crisma

1. Os crachás com o nome dos Crismandos sejam escritos com letras bem visíveis e grandes. Modelo: Verdana, 36, negrito.

2. Se for fazer fotos dos Crismandos na entrada, estes devem iniciar a procissão 20 minutos antes, ou de acordo com o número de Crismandos para não atrasar o início da Celebração. A Procissão de Entrada da Missa deve acontecer quando os crismandos já estão nos seus devidos lugares.

3. É imprescindível que os Crismandos aguardem o momento da Celebração com espírito de alegria e silenciosa oração.

4. Os Catequistas da Crisma devem conduzir os Crismandos aos seus lugares alguns minutos antes da procissão de entrada e orientá-los para que permaneçam em silêncio e participem com atenção e devoção, nas orações da missa, cantando as canções e pelo silêncio.

5. Se for usar velas no momento da Renovação das Promessas Batismais, é aconselhável que os Catequistas da Crisma ou os Crismandos que estão nas pontas dos bancos se dirijam ao Círio Pascal, acendam suas velas e passem aos outros Crismandos. Propomos este modo para que o acendimento das velas não quebre o ritmo celebrativo, alongando demais o rito e prejudicando-o por isso.

6. No momento da imposição das mãos, toda a assembleia deve acompanhar a prece feita pelo Bispo com o máximo de silêncio e espírito de oração.

7. Na hora da Unção com o Santo Óleo do Crisma, os Crismandos devem se aproximar do Bispo, acompanhados de seus padrinhos ou madrinhas. Estes devem colocar a mão direita sobre o ombro do afilhado. Nesta hora não deve haver canto, isso para possibilitar que o diálogo entre o Bispo e o Crismando seja bem ouvido por ambos. Apenas é aconselhável um fundo musical suave para favorecer o clima de oração na assembleia. Dado o ambiente celebrativo litúrgico e o momento oracional que encerra a invocação ao Espírito Santo também pela unção, o mais aconselhável são canções em estilo gregoriano, de preferência referentes ao Espírito Santo (não escolher músicas marianas, por exemplo).

Como Dom Nelson pede que haja apenas um fundo musical suave durante a Unção, pode se cantar um refrão de um canto ao Espírito Santo enquanto ele lava as mãos para iniciar as preces da Comunidade.

8. Avisos e homenagens somente depois da Oração após a Comunhão. Melhor ainda se for após a Bênção final.

9. Se a Crisma ocorrer em Domingo Comum é rezada a Missa Ritual com leituras e orações próprias e paramentos vermelhos, somente se for num horário de Missa especial para os Crismandos.
Se for a Missa em horário normal da Paróquia, para o Povo, deve ser rezada a Missa dominical, ou seja, da Liturgia do Dia.

10. A melhor data para a celebração da Crisma é no decorrer dos Domingos pascais ou durante o Tempo comum. Mas, se for escolhida uma data que coincide com alguma solenidade, ou no Tempo do Advento, Quaresma ou Tempo Pascal, não pode ser mudada a liturgia, apenas se faz o rito da Crisma no momento oportuno em que a liturgia o prevê. Com paramentos da cor litúrgica correspondente.

11. O Folheto da Crisma a ser adotado pode ser o “Deus Conosco” da Editora Santuário. Não usamos o Folheto “O Domingo”, porque traz a Oração Eucarística V que não corresponde com o Prefácio.

12. Para que a celebração não se prolongue em comentários sobre comentários, o simbolismo da água, do Círio Pascal e dos santos óleos que serão usados na celebração sejam explicados ou recapitulados no decorrer do último ensaio antes da celebração. Para a celebração em si, os comentários sejam breves, fazendo menção do rito e da finalidade do mesmo.

13. De acordo com as orientações Litúrgicas da Igreja, o ministério da música (grupos, bandas ou corais) cante com suavidade e jamais deixem sobressair os instrumentos, a ponto de abafar as vozes. Vale lembrar que os instrumentos funcionam como suporte para que a voz torne-se louvor ou prece ao Pai durante a canção.

14. Se desejar, um Diácono ou Ministro, poderá segurar o microfone para o Bispo na hora da Unção, quando se pronuncia o nome do Crismando e a fórmula da Crisma. Isso ajuda a manter as pessoas atentas ao Rito.

15. Se for conveniente, pode ser dada a comunhão sob duas espécies aos Crismados e Padrinhos. Crismados e padrinhos devem comungar juntos.

16. O sacerdote deve auxiliar o Bispo a dar a comunhão para os crismados e padrinhos para não demorar. Enquanto isso, os Ministros/as dão a comunhão para a comunidade.

17. É aconselhável marcar um encontro com os Crismados, após a Crisma, para a entrega da lembrança da Crisma.

Anotações de Ir. Maurinéa Aparecida dos Santos, pmmi
Secretária Episcopal

Sugestões de Dom Nelson para a Crisma:

- Na Procissão de Entrada, o Diácono (quando tiver) ou o Padre, entrar solenemente, com o Evangeliário para dar ênfase à Palavra de Deus. Esse gesto substitui a procissão com a Bíblia, antes da proclamação da Palavra.
Queremos formar nossos fiéis que o importante é a Palavra de Deus e não o livro em si.

- Logo após a renovação das promessas batismais e antes da oração de imposição das mãos, um crismando ou catequista, entrar solenemente com o Santo Óleo do Crisma. Para iniciar a procissão, fazer um breve comentário.
O Santo Óleo pode ser entregue ao Bispo ou depositado num lugar de destaque já preparado.
Modelo de comentário:
Vamos agora receber com alegria o Santo Óleo do Crisma com o qual nossos Crismandos e Crismandas serão ungidos na fronte e assim marcados com o sinal de Cristo para tornarem-se adultos na fé e soldados de Cristo Rei. Acompanhemos este momento com atenção, cantando: (um canto do Espírito Santo que não seja longo).



COMPARTILHE ESTA PAGINA


DEIXE SEU COMENTÁRIO

*



 

 ANIVERSARIANTES DO DIA

 
1 outubro 2014

Caro Pe. Pedro Raimundo,
Parabéns pelo seu aniversário neste dia.
Receba nossos votos de saúde, alegria e vida plena no Senhor.
Dom Nelson envia-lhe uma especial bênção e um abraço amigo.

 
 NOTAS RÁPIDAS

 
 
 
 
 
 
 VÍDEOS DIOCESE TV